Ervilha cai nas graças do setor alimentício e gera bilhões de reais em negócios

A proteína de ervilha já é associada fortemente aos alimentos veganos e vegetarianos comercializados no mundo todo. Porém, pesquisas mostram que essa é uma percepção superficial do verdadeiro patamar de negócios tendo como base a proteína de ervilha. A utilização de ervilha em produtos alimentícios tem se tornado cada vez mais alvo da indústria, indo além das empresas veganas e se estendo entre as empresas convencionais consagradas no mercado. O destaque deste produto fica por conta das empresas que se concentram em alimentos à base de plantas. Porém, o mercado tem se mostrado cada vez mais dinâmico e a proteína de ervilha movimentou bilhões de reais em 2019 entre as empresas convencionais da indústria alimentícia.

Considerada um dos ingredientes básicos na produção de alimentos veganos, a utilização da ervilha é altamente explorada em produtos de origem animal por ajudar a texturizar diversos produtos sem perder o valor nutricional. Em hambúrguer vegano, a proteína de ervilha ajuda a manter um aspecto de alimento hidratado, algo semelhante à carne fresca. Empresas famosas especializadas em produtos veganos, como a Impossible Foods e Beyond Meat, exploram a proteína de ervilha e foram uma das grandes responsáveis pela valorização deste alimento no mercado.

No Brasil, o comércio de produtos veganos também tem estimulado cada vez mais o uso de ervilha na composição dos alimentos. Dentre as empresas que estão presentes no mercado interno, a Fazenda Futuro e a Seara são as que dominam a disputa interna por consumidores que optam mais por produtos de origem vegetal. O reflexo disso é que cada vez mais as linhas de produtos 100% vegetais estão ganhando espaço entre as empresas convencionais, como é o caso da Seara, da Taeq e Sadia.

O uso de proteína à base de vegetais tem cativado cada vez mais os empresários que já atuam há anos no mercado alimentício. Além do produto ser mais barato, o valor de proteína por porção atende as recomendações dos órgãos de saúde quanto ao consumo diário das pessoas. Esses são fatores que estão gerando mais negócios que incluam a ervilha como matéria-prima da indústria, assim como a soja, o milho e outros alimentos amplamente utilizados.

De acordo com a Markets and Markets, empresa especializada em notícias do mercado, as previsões são de que o mercado de proteína de ervilha movimente US$ 1,5 bilhões entre 2020 e 2025, tendo uma taxa de crescimento anual de 13,5%.

Revista divulga lista com animais menos populares ameaçados de extinção

Ao mesmo tempo que as ameaças de extinção de grandes animais como o elefante, o tigre e o coala geram grandes comoções e atraem a atenção de ativistas, cientistas e da opinião pública, diversas outras espécies de animais desconhecidos pelas grandes massas que também correm um grande risco de serem extintas, passam despercebidas pelas mídias. Em vista disso, a revista “Nature Communications” listou alguns dos animais desconhecidos que sofrem com o risco de extinção e as pessoas nem imaginam que esses animais existem.

As notícias divulgadas pela revista no mês de março de 2020 fazem parte de uma campanha que incluí diversas reportagens, fotos e a veiculação desta lista nos meios de comunicação. Centenas de espécies de animais que não são populares recebem menos atenção dos órgãos de proteção e da conscientização das pessoas. Na maioria dos casos, muitos desses animais desaparecem sem o conhecimento da grande maioria das pessoas, como é o caso do peixe espátula, que foi declarado oficialmente extinto no início deste ano.

Trata-se de uma forte tendência de extermínio, pois, enquanto os especialistas mantiverem-se focados somente nos animais mais populares, outras espécies que sobrevivem no anonimato não terão a menor chance de sobreviverem por mais uma década. É importante salientar que a lista criada pela Nature Communications não tem a intenção de julgar qual animal merece mais atenção da humanidade, pois todos os animais, principalmente os que estão em risco de extinção, merecem o mínimo de misericórdia humana e devem ser protegidos.

Dentre os animais que estão na grande lista divulgada pela revista, o Calau-rinoceronte (pássaro asiático), o felino carnívoro de Madagascar, o Monstro de Gia e o Serpentário (ave africana), são alguns dos animais que estão em risco de extinção. De acordo com dados lançados pela revista, seriam necessários US$ 100 bilhões anualmente para manter as metas de biodiversidade instituídas pelo CDB (Convenção sobre a Diversidade Biológica). Em uma reunião prevista para outubro de 2020, que será sediada na China, líderes mundiais ligados ao CDB deverão discutir sobre o assunto para chegarem aos moldes do Acordo de Paris.

Com número superior a 360 mil clientes, Empiricus estuda alteração societária

Além de aguardar a abertura de capital da XP Investimentos, o mercado financeiro também pode esperar por grandes mudanças vindas da Empiricus, outra grande empresa nacional que é voltada ao compartilhamento de relatórios sobre investimentos. Apurações recentes feitas pelo jornal O Globo indicam que os sócios brasileiros da companhia estão planejando adquirir a metade das ações que pertencem à norte-americana Agora Inc, desde o ano de 2013.

A Revista EXAME noticiou que tanto os executivos da Empiricus como os da Agora Inc estão analisando essa questão e os possíveis desdobramentos que a compra irá impactar na ordenação societária da companhia. Segundo o que foi veiculado pela EXAME, as empresas ainda não estão discutindo sobre uma eventual valuation da empresa. Oficialmente, os profissionais ligados à companhia brasileira ainda não revelaram mais detalhes sobre essa transação.

A Empiricus atua no mercado nacional desde o ano de 2009, conseguindo manter um ritmo de crescimento constante, que se intensificou de forma acentuada nos últimos cinco anos. Nesse período, o portfólio de assinantes da companhia que recebem os conteúdos e relatórios sobre investimentos já se multiplicou em pelo menos dez vezes. Com isso, a empresa possui cerca de 365 mil clientes, e mantém uma estrutura de funcionamento que envolve aproximadamente 300 funcionários.

No final de 2018, a Empiricus firmou um acordo comercial com a gestora digital Vitreo, que possui entre seus sócios, Paulo Lemann, herdeiro de Jorge Paulo Lemann. Mesmo com pouco tempo após ter sido fechada, a colaboração entre as duas empresas se mostrou bastante positiva para a Vitreo, que teve um crescimento de 10% ao mês, atingindo um total de 40 mil clientes. Ainda segundo o apurado pela Revista EXAME, essa parceria comercial deverá permanecer entre os planos prioritários da Empiricus para o futuro.

Na reta final de 2019, a Empiricus já começou a adotar certas mudanças estruturais de peso, que incluem uma troca nos cargos de dois de seus sócios-fundadores. Felipe Miranda passou a assumir a função de CIO (Diretor de Investimentos), sendo assim o novo responsável pelas oportunidades de negócio da companhia, enquanto Caio Mesquita, voltou a posição de CEO.

A curto e médio prazo, a empresa já está traçando seus novos objetivos para seguir crescendo no mercado brasileiro, os quais devem incluir uma expansão para novos campos de negócios e uma eventual abertura de capital, estratégia adotada recentemente pela XP Investimentos. Porém, antes que esses planos tenham a chance de ocorrer, a Empiricus precisa resolver um tema ainda pendente, acerca de um processo administrativo movido pela CVM desde 2018.

Depois de ter algumas rusgas com a CVM no passado, a companhia vem tentando estabelecer um relacionamento mais colaborativo com os órgãos reguladores, sendo essa uma das razões pela qual implantou um moderno departamento de compliance. O mesmo foi anunciado com o intuito de assegurar que todas as operações da empresa estejam de acordo com as normas e regulamentos em vigência, modernizando a estrutura interna da empresa de forma inédita entre as demais corporações que atuam nesse segmento no mercado nacional.

Como criar uma estratégia de conteúdo para realidade virtual

Os consumidores tendem a interagir com marcas com as quais sentem uma forte conexão. Este é um fato conhecido. Nova é a definição do termo “interação”, ou melhor, o que caracteriza a interação do seu cliente.

Anteriormente, um simples comentário em uma postagem do blog era considerado uma interação suficiente para impulsionar a economia de seus negócios. Essa interpretação é muito diferente da moderna: para muitos clientes hoje em dia, a experiência não é autêntica se não for interativa. Ou seja, os consumidores devem poder entrar em contato com você por todos os seus canais e sentir que eles entendem a essência do seu produto.

71% dos consumidores acreditam que as marcas que usam realidade virtual (Realidade Virtual, VR) são promissoras. E não importa como você se relacione com os termos “progressividade” e “prospectividade”, você pode ter certeza: essas marcas se destacam e atraem atenção.

Apesar de todos os preconceitos em relação à Realidade Virtual, essa não é uma tática de marketing inacessível. Criar uma estratégia de conteúdo para a realidade virtual não é diferente da usual, mas requer uma compreensão da interação por meio da interatividade.

Como seu cliente ideal já está usando seu conteúdo? Ele interage com você através do webinar semanal, dos boletins de notícias ou na seção de bate-papo das “Perguntas e respostas”? Talvez através do vlog do seu CEO? Qualquer que seja o seu fluxo de conteúdo usual, você pode desenvolver sua estratégia com a tecnologia VR.

Por exemplo, se sua principal fonte de conteúdo é o vídeo do Facebook, você pode criar conteúdo virtual no Facebook Spaces, uma nova ferramenta que permite a comunicação usando os óculos Rift. Agora é o melhor momento para começar a pensar em quais benefícios isso pode trazer para sua marca.

Sua empresa tem um aplicativo? Uma das novas tendências para empresas cujo negócio é baseado em aplicativos é a introdução de conteúdo de realidade virtual usando um fone de ouvido VR da Samsung ou iPhone.

Crie não apenas conteúdo, mas experiência! O conceito de estratégia de conteúdo em combinação com a realidade virtual pode causar mal-entendidos. Por fim, a realidade virtual não se refere ao conteúdo em si, mas à experiência do usuário. É por isso que sua estratégia deve ser direcionada ao consumidor, dando-lhe uma idéia detalhada dos produtos que você oferece.

Interação Humano-Computador: Desenvolvimento do Usuário Final

A comunidade de usuários de computadores está crescendo rapidamente, tanto em termos quantitativos quanto na variedade de ocupações dos participantes. Entre eles estão gerentes, contadores, engenheiros, donas de casa, professores, cientistas, profissionais de saúde, agentes de seguros e funcionários administrativos juniores.

Muitas dessas pessoas trabalham em tarefas que mudam anualmente, mensalmente ou até diariamente. Consequentemente, seus requisitos de usuário para software são diversos, complexos e sujeitos a alterações frequentes. Os desenvolvedores profissionais de software não conseguem atender diretamente a todas essas necessidades devido ao seu conhecimento limitado e porque os processos de desenvolvimento são muito lentos.

Desenvolvimento do usuário final ajuda a resolver esse problema. O desenvolvimento do usuário final é um conjunto de métodos, técnicas e ferramentas que permitem aos usuários de sistemas de computador que atuam como desenvolvedores de software leigos criar, modificar ou expandir um produto de software em algum momento.

Em particular, permite que os usuários finais desenvolvam ou adaptem a interface do usuário e a funcionalidade do software. Isso é valioso porque os usuários finais conhecem melhor seu próprio contexto e suas necessidades do que qualquer outra pessoa, e geralmente em tempo real podem estar cientes das mudanças que estão ocorrendo em seus respectivos campos.

Usando essa técnica, os usuários finais podem personalizar o software de acordo com seus requisitos com mais cuidado. Além disso, como o número de usuários finais excede o número de desenvolvedores de software seu uso expande o escopo das atividades de desenvolvimento de software, permitindo que um círculo mais amplo de pessoas participe.

No entanto, o desenvolvimento do usuário final é inerentemente diferente do desenvolvimento de software tradicional, e apenas tentar implementar o sistemas simplesmente simulando abordagens tradicionais muitas vezes não é suficiente para obter resultados bem-sucedidos. Os usuários finais geralmente não são treinados em linguagens de programação profissionais, não entendem processos formais de desenvolvimento, não são capazes de criar modelos e fluxogramas de trabalho. Além disso, os usuários finais geralmente não têm tempo ou motivação suficiente para aprender esses métodos tradicionais, pois geralmente escrevem código para atingir uma meta de curto ou médio prazo e não para criar um recurso de software de longo prazo que proporcione um fluxo contínuo de economia.

O futuro do marketing de vídeo: vídeos em 360 ° e realidade virtual

Esses vídeos são gravados a partir de uma câmera com um ângulo de visão de 360 ​​graus. Algumas câmeras possuem lentes localizadas na parte superior, o que lhes permite capturar todo o espaço ao redor. Em outras câmeras, as lentes estão localizadas nos dois lados e fotografam nos planos horizontal e vertical, e as imagens resultantes são então unidas.

A principal característica dos vídeos em 360 graus é que eles mergulham completamente. Enquanto nos vídeos tradicionais você só pode ver o local em que a câmera está direcionada, os espectadores em 360 graus observam tudo o que está ao alcance da câmera. É por isso que eles podem dar às pessoas o efeito da presença, e é por isso que esse tipo de vídeo é uma ferramenta poderosa de contar histórias e impulsionar a economia de seus negócios.

Além disso, as pessoas podem controlar independentemente a direção do vídeo: basta deslizar o dedo na tela do dispositivo móvel ou no cursor do mouse para selecionar a área do vídeo que é de seu interesse.

Vídeos ao vivo em 360 graus são transmissões online feitas usando aplicativos de vídeo como o Facebook, YouTube e Periscope, adaptados para transmitir vídeo nesse formato.

Note-se que essas transmissões encontram a aplicação mais diversificada. Eles são amplamente utilizados, por exemplo, na indústria do turismo. Para fazer as pessoas quererem visitar essa ou aquela atração no planeta, você pode dar a elas uma experiência ao visitar esses lugares. Pode ser um passeio pela Praça de São Marcos em Veneza, andando de prancha no oceano ou visitando um museu. Os espectadores não sentirão falta de um pouco de espaço, e este será o melhor anúncio dela. No momento, é a indústria do turismo que obtém o maior benefício de tais vídeos.

Além de agências de viagens e entusiastas de viagens, vídeos em 360 graus também são usados ​​ativamente por corretores de imóveis que, usando esse formato, criam facilmente passeios completos de imóveis (casas, apartamentos, escritórios) e os apresentam a clientes em potencial, eliminando a necessidade de visitar pessoalmente um ou outro objeto. Além disso, as transmissões online oferecem a oportunidade de interagir com seu público em tempo real, transmitir notícias de forma mais dinâmica, e isso dá a todo o processo um caráter mais pessoal. De fato, a principal vantagem desses vídeos é a capacidade de interagir com o público e criar relacionamentos lucrativos com eles.

Maneiras de atingir suas metas de vendas em 2020

A maioria das vendas, concluídas e perdidas, é baseada em um fator principal: você. As chaves do sucesso estão em suas mãos. Os concorrentes não vencem porque suas ofertas são mais impressionantes. Eles vencem porque oferecem a melhor experiência de vendas. E você é capaz disso também. Aqui estão as principais dicas para ajudar você a atingir seus objetivos em 2020 e no longo prazo.

Transmitir ativamente valor – Apesar de todos os vendedores falarem sobre a necessidade de transmitir valor, nem todos o fazem bem. Para explicar o valor para um cliente, você primeiro precisa desenvolver um plano de economia. Você deve viver e respirar esse valor. Seguindo essa regra, empresas e vendedores individuais estão obtendo resultados muito melhores.

Aumentar leads – Sem exceção, a maior oportunidade para o crescimento das vendas é trabalhar com os leads existentes. Se for importante vender mais, entre em contato com seus clientes primeiro, estabeleça contato por meio de boletins de notícias, email marketing, blog, etc.

Forneça conhecimento às pessoas – Os consumidores querem obter idéias de você, estão procurando novos conhecimentos. É mais provável que os vendedores que respondem a essa necessidade estejam em primeiro lugar. Novos conhecimentos são uma ótima maneira de fornecer valor e criar novas oportunidades para geração de leads nos negócios online.

Colabore e ouça – Quando se trata de fornecer novos conhecimentos e trabalhar em conjunto com os clientes, os líderes usam uma estratégia de vendas completamente diferente daquela que os segue. Os fatores de seu sucesso – a capacidade de ouvir, persuadir, agir em conjunto com os clientes e entendê-los – não são de forma alguma novos, mas os vencedores o fazem melhor do que você. Deseja obter mais? Avalie-se contra esses critérios.

Minimize os riscos do consumidor – O risco desempenha um grande papel no processo de tomada de decisão do comprador. Como regra, os clientes em potencial são céticos, muitos deles sofreram erros no passado e sabem que qualquer alteração está associada ao risco. Sua tarefa é minimizar os perigos e superar a barreira relacionada à dúvida.

Seja proativo – Sempre existem oportunidades. Os compradores fazem investimentos estratégicos, estão prontos para mudar de fornecedor e querem conversar com você. Aborde o planejamento de reuniões e conversas em termos de fornecer valor, e você alcançará suas metas de vendas. Mas você precisa ser proativo nisso. Ninguém o convidará para conversar.

Certifique-se de trabalhar em estreita colaboração com os leads, lembrá-lo constantemente do valor adquirido e aumentar os leads, caso contrário, isso será uma prerrogativa dos concorrentes.

O que está além do pedido de desculpas de Bettina da Empiricus?

O pedido de desculpas de Bettina é mais do que uma simples retratação por um erro. A empresa evoluiu em seus processos para reforçar a confiança de seus mais de 360 mil assinantes e mostra isso em novo vídeo.

Após a repercussão do anúncio de Bettina, a Empiricus lançou um novo vídeo com pedido de desculpas em campanha de reposicionamento da marca. Nele, a copywriter afirma ter errado ao dizer que ganhou mais de um milhão de reais a partir de um investimento de mil reais e os conselhos da empresa.

Na ocasião a empresa foi multada pelo Procon por conta do exagero. Além disso, o Conar pediu a retirada da campanha do ar e a CVM (Comissão de Valores Mobiliários) definiu uma série de orientações para a propaganda veiculada por players de análise financeira.

O pedido de desculpas

Bettina fala que ela e a empresa erraram em não deixar claro que foram feitos outros aportes ao longo dos três anos. Foi passada uma informação equivocada de que sua evolução patrimonial foi conduzida de forma rápida ou fácil. Em seguida diversos colaboradores da Empiricus pedem sinceras desculpas pelo ocorrido.

A copywriter também ressalta que não houve lucros com a exposição da marca, visto que se tratava de um anúncio para promover um curso gratuito online. No curso, o aluno poderia entender mais sobre o mercado de capitais e se posicionar, caso quisesse uma forma mais conservadora de investimento ou de maior risco.

Ela pede uma segunda chance para que o público possa conhecer quem realmente é a Bettina e a Empiricus. Também indaga o que poderia ter ocorrido se o espectador tivesse clicado em “Saiba Mais” do primeiro vídeo. Logo depois apresenta alguns dados sobre a bolsa de valores e como seus investimentos poderiam ter rendido caso tivesse acompanhado o curso online.

Seis meses depois da primeira campanha, o vídeo é uma forma da empresa não só se retratar, como também reforçar sua postura de oferecer relatórios seguros. A produção foca no avanço em relação ao controle e rigidez dos processos internos, bem como nas ações realizadas para fortalecer a confiança do público.

Entre essas ações a contratação de profissionais ainda mais técnicos para compor a equipe de pesquisa e o desenvolvimento do setor de compliance, responsável por adequar as atividades empresariais com as leis do país e as determinações das entidades reguladoras.

A Empiricus também buscou se aproximar das reguladoras, em especial a CVM, com quem teve rusgas no passado. Antes, o posicionamento da marca é que a CVM não tinha poder de fiscalização sobre suas atividades por se tratar de um veículo de comunicação financeira e não uma casa de análises. Hoje, atende as orientações da entidade, como a criação de alertas de risco de operação em relatórios e peças publicitárias.

Com cerca de 300 colaboradores, a Empiricus é referência no mercado editorial e de capitais não só pelo seu compliance, mas também pela quantidade de assinantes, que superam os 360 mil. Também conta com a equipe de pesquisa financeira mais capacitada do país, atuando na elaboração de relatórios eficientes.

Cotação do Dólar na Argentina e no Chile é ainda muito pior que no Brasil

Embora o dólar tenha subido consideravelmente no Brasil, a moeda teve uma alta ainda maior em países como Argentina e Chile. Entre janeiro e novembro de 2019, pra que se tenha clara noção, enquanto no Brasil o aumento chegou a 9,06%, na Argentina o valor do dólar registrou alta de 59,2% em relação ao peso argentino, e ao chileno a alta foi de 18,1%. Na Colômbia, apesar de uma menor desvalorização da moeda nacional se comparada ao Brasil, a alta do dólar foi de 7,95% para o mesmo período mencionado acima. Para outro país vizinho nosso, o Peru, o aumento foi ligeiro, de apenas 0,47%. Foram 6 países analisados, incluindo o México, que foi o único em que o dólar ficou mais barato, tendo queda de -0,54%.

Algumas das causas mais atribuídas para a desvalorização do real em relação ao dólar por economistas são a queda de preços de matérias primas que o Brasil exporta, como a soja, e a guerra econômica entre China e Estados Unidos.

A economista Patricia Krause atribui para a elevação do peso argentino e chileno causas políticas. Na Argentina, a troca de presidentes acarretou mudanças na economia nacional. No Chile, as manifestações populares teriam contribuído para a alta da moeda americana no cenário atual.

Na Colômbia, segundo Patricia Krause, a desvalorização de matérias primas exportadas pelo país, tais como o petróleo e o carvão, é a principal razão de terem um aumento da moeda americana dentro da nação.

Em contrapartida dos demais, México tem se beneficiado devido o decréscimo da taxa de inflação na sua economia, que diminuiu para os 3%, e a redução de juros básicos que se encontra em 7,5% pontos-base ao ano, fatos que chamam a atenção de investidores pelo mundo para o país. Com uma organização econômica parecida com a mexicana e com a situação econômica sólida, o peso peruano também variou pouco.

Por que incluir os custos do marketing no seu orçamento de links?

Preocupado com a segurança do seu perfil de link? Não consegue encontrar uma alternativa aos links de SEO adquiridos para não se enquadrar nos filtros dos mecanismos de pesquisa? Existe uma solução – links naturais que podem ser obtidos através do crowdfunding.

O marketing de multidões é uma ferramenta que apareceu recentemente no mercado, mas já ganhou grande popularidade. É usado por especialistas em SEO e por empreendedores e empresários de negócios individuais. O que causou tanta popularidade e vale a pena estabelecer os custos do marketing de multidão no seu orçamento e economia de links?

O marketing de multidões é um processo de estímulo à venda de produtos baseado em recomendações. Em termos simples, é a colocação de comentários recomendados com um link para um site promovido em fóruns, blogs, feed de notícias, redes sociais e outras comunidades temáticas. A principal tarefa da multidão é ajudar uma pessoa a resolver seu problema, enquanto atrai a atenção para o produto certo.

Segurança do perfil de link – Devido às sanções dos mecanismos de pesquisa, não será possível comprar apenas um grande número de links, pois isso não apenas trará nenhum resultado, mas também poderá prejudicar o site nos resultados da pesquisa. Os links de multidões podem ser colocados um número ilimitado de vezes, sem medo de ficar sob os filtros do Google.

Gerenciamento de reputação – O marketing de multidões é uma ferramenta de marketing. Ele permite que você gerencie a reputação da empresa. Isso é muito eficaz se você está apenas começando a desenvolver um site, e os clientes em potencial não sabem nada sobre você. Além disso, usando multidões, você pode trabalhar com pessoas negativas se forem publicadas críticas negativas sobre sua empresa. Se apenas críticas positivas ou neutras sobre você, usando multidões, você pode tornar a imagem ainda melhor.

A presença de críticas positivas em vários sites garante uma atitude mais fiel à sua marca. Antes de fazer uma compra, muitas pessoas procuram opiniões sobre a empresa / produto, com base nas quais tomam uma decisão. Além disso, uma vantagem significativa desses comentários é que mesmo uma pessoa que lê uma revisão acidentalmente pode estar interessada no seu produto.