Apple e Google se unem para criar aplicativo de monitoramento de contagiados

Recentemente, a Apple e o Google divulgaram notícias sobre uma parceria para a criação de um canal de comunicação padronizado. O objetivo da parceria é ampliar o rastreamento de contatos e melhorar a comunicação entre os usuários informando sobre pessoas contagiadas nas proximidades.

Na prática, a criação do novo canal de comunicação permite que o aparelho celular de uma pessoa tenha o contato de outros aparelhos contactados em sua memória, independente se o dono do aparelho tenha em sua agenda tais números. O sistema irá rastrear de forma automática a localização de todas as pessoas e armazenar a rede de conexão entre os aparelhos.

Embora as aplicações atribuídas ao novo sistema possam ser amplas, a ideia principal é monitorar pessoas com covid-19. Uma pessoa com coronavírus poderá relatar que está com a doença no app e o alerta será enviado para as pessoas que estejam próximas do aparelho celular do contaminado.

O objetivo da parceria é criar um sistema capaz de evitar a disseminação de coronavírus sem prejudicar a privacidade dos usuários das duas empresas. A tecnologia de compartilhamento de informações está sendo desenvolvida para preservar a privacidade das pessoas da forma mais ética possível. Porém, mesmo com os cuidados que estão sendo adotados neste projeto, a Apple e o Google estão tomando bastante cuidado com os requisitos técnicos para criar essa forma de monitoramento.

As limitações técnicas do sistema Android poderão ser alteradas, mas tudo dependerá dos fabricantes de aparelhos celulares participarem deste desafio e fazer com que este aplicativo chegue nos smartphones mais utilizados pelas pessoas. É importante salientar que o sistema operacional do Google está presente em 70% dos smartphones no mundo. Muitos desses aparelhos estão limitados a receber atualizações por dois anos, algo que deixaria muitos usuários sem ter acesso aos novos recursos firmados na parceria.

O projeto foi pensado para que as pessoas interajam com o aplicativo e envie os alertas. Será o próprio doente que irá comunicar as autoridades de saúde que está com covid-19 por meio do aplicativo. Se os usuários não interagirem e alimentarem o sistema constantemente com dados, os alertas não serão emitidos. Ainda que exista incentivo para o usuário manter o Bluetooth do smartphone ligado e receber atualizações de usuários com coronavírus nas proximidades, ainda não existem incentivos convincentes para que os usuários contagiados avisem a rede.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *