Homem recebe 43 milhões de reais em auxílio emergencial por engano

Nos Estados Unidos, as medidas de auxílio emergencial também estão beneficiando as pessoas que necessitam de ajuda financeira neste momento. Semelhante ao auxílio emergencial aqui no Brasil, os moradores dos EUA também recebem um valor em dólares para lidar com a falta de recursos no período de isolamento social.

Um morador de Indiana foi motivo das notícias sobre o assunto no dia 10 de abril deste ano, após receber um auxílio emergencial de 8,2 milhões de dólares. As informações sobre o equívoco cometido pelo governo ao depositar este auxílio exorbitante na conta de Charles Calvin foram publicadas pelo New York Post.

O auxílio emergencial oferecido pelo governo norte-americano é de US$ 1.700, o equivalente a R$ 9 mil com base na cotação em 16 de abril deste ano. O erro só foi notado por Calvin quando ele resolveu se dirigir até um caixa eletrônico para sacar US$ 200 e, por curiosidade, resolveu olhar o saldo após ter sacado o dinheiro. De acordo com o beneficiário, ele não acreditou no valor que estava à sua frente e decidiu colocar e retirar o cartão em outros terminais para ter certeza de que não se tratava de um erro naquele terminal.

No entanto, o banco responsável pela transação já havia percebido o erro e estornou o dinheiro da conta de Calvin já na segunda-feira da semana seguinte ao ocorrido. O banco responsável pelo depósito do auxílio emergencial nas contas dos norte-americanos entrou em contato com Calvin e explicou que tudo não se passava de um engano, e somente o valor de R$ 1.700 dólares deveriam permanecer em sua conta. “É chato passar por isso. Acordei milionário em um dia e me tornei um falido no dia seguinte”, explica o americano em tom de brincadeira ao ser entrevistado por uma TV local.

Com base na inflação experimentada pelos Estados Unidos em abril deste ano, o auxílio emergencial oferecido pelo país é mais que o suficiente para que os moradores consigam se manter em dias de escassez de emprego e de economia em recessão devido à pandemia de coronavírus.

Já no Brasil, o auxílio é menor que o salário mínimo, a burocracia para que os brasileiros tenham acesso a esse valor é muito grande e o governo já negou mais de 30% dos pedidos de auxílio no processo de análise da Dataprev (empresa responsável pela análise dos beneficiários do auxílio).

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *