Guilherme Paulus: exemplo de empresário sempre em busca de sua evolução nos negócios

No mundo dos negócios, o segredo é você nunca ficar parado, no exato sentido de estagnar em um determinado nível e não mais crescer. Se você já tornou-se uma grande referência na sua cidade, o próximo passo, portanto, é destacar-se em nível estadual. Seguindo-se essa lógica, na sequência, vem o patamar de referência nacional, ou seja, você estar no topo do seu segmento mercadológico, em todo o Brasil. Dito isso, podemos destacar Guilherme Paulus e a sua intenção declarada de ser a referência, em igual proporção, no ramo da hotelaria.

O referido empresário, diferente de muitos que podem ter o mesmo sonho, está a poucos passos de conseguir tal posição de fato. Afinal de contas, poucos são aqueles que realmente poderiam competir com o responsável por tornar a CVC o que ela é nos dias de hoje. Sim, foi Guilherme Paulus que conseguiu transformar uma empresa de pequeno porte e com problemas de endividamento na operadora de viagens que, de todas as Américas, desponta como a maior, sendo ainda, já em nível mundial, a terceira colocada. Fora tal mérito decorrente de tamanha realização, o empresário também se sobressai no sentido de fortuna acumulada. Para se ter uma ideia, a partir do momento em que ele vendeu o controle da referida operadora, mais precisamente em 2009, passou a figurar na lista dos bilionários feita pela FORBES Brasil. O controle dessa empresa, vale pontuar, foi passado pelo valor de, aproximadamente, R$ 1 bilhão, diretamente para o fundo americano Carlyle. Hoje, é claro, sua conta-corrente está maior ainda, beirando os R$ 2 bilhões.

Além disso tudo, não bastassem tantos méritos e empreendimentos bem sucedidos, Guilherme Paulus acumula ainda a presidência da GJP Hotels & Resorts, cuja a sigla vem de Guilherme Jesus Paulus, e da qual é o seu único dono até hoje. Sendo que, vale observar, ele não deixou por completo a CVC, apesar de ter vendido o seu controle. Hoje, detendo apenas 25% dela, ainda tem um cargo importante em sua estrutura, o de presidente do seu conselho de administração. E, apesar de já ter passado dos 60 anos de idade, afinal, a história da CVC começou quando ele ainda tinha 23 anos, em 1970, o empresário não demonstra ter interesse algum por se aposentar, nem sequer mudar o ritmo de trabalho que segue desde aquela época.

Segundo palavras do próprio Guilherme Paulus, sua vida, nos dias atuais, permanece idêntica, em intensidade de trabalho diário, à que possuía no começo da operadora CVC, pois, ao que parece, é o que verdadeiramente lhe dá prazer e o mantém ativo: trabalhar com essa mesma área de sempre. E o empresário ainda procurou exemplificar como é essa rotina a cada semana, ao lembrar que encontrava-se em Foz do Iguaçu em determinado dia, pouco depois de ter passado por Porto Alegre e, posteriormente, a cidade de Aracaju. Assim, ele quis reforçar, como bem disse, que “roda bastante”, não tendo preguiça que o faça desviar do seu foco.

Já tratando-se especificamente do seu empreendimento mais recente, o grupo GJP, tendo este iniciado suas atividades em 2005, Guilherme Paulus o define como a sua aposta do momento, já que tenderia, segundo confirmou, a vender, seja por agora ou mais para frente, a sua atual participação na CVC. Os compradores seriam, a saber, os mesmos já detentores dos demais 75%, ou seja, o fundo Carlyle.

Startups têm espaço para crescerem com apoio de grandes empresas

No ano de 2018 os centros de inovação tiveram um trabalho considerável na cidade de São Paulo. Quem pensa nos típicos laboratórios com suas instalações mais tradicionais quando visitar um centro de inovação irá se surpreender. O espaço desses lugares possui um visual descolado e que atrai um público ávido por eventos de tecnologia.

Esses lugares foram criados por grandes empresas como Bradesco e Itaú, os maiores nomes da tecnologia também não ficaram de fora, o Google e o Facebook mostraram que estão engajados nesse investimento. A participação dessas empresas esteve bem frequente nesses projetos. O que antes era apenas mil pessoas que ocupavam cargos de trabalho em negócios inovadores em projetos como o Campus (Google), Cubo (Itaú), Estação (Facebook) e Habitat (Bradesco), hoje o número de pessoas ultrapassou 3 mil.

Uma das apostas dos centros de inovação que deu certo é o Cubo, patrocinado pelo Itaú. Em agosto do ano passado, a sede na capital paulista foi inaugurada com 5 mil metros quadrados e hoje já possui mais de 20 mil metros quadrados. O projeto conta com a parceria do fundo Redpoint eVentures. São 1.250 cargos de trabalhos, atualmente aproximadamente 800 funcionários estão trabalhando no novo prédio que está localizado na zona sul da cidade, Vila Olímpia.

A crise não conseguiu provocar nos centros de inovação nenhuma queda. Além da expansão física, somente entre janeiro e julho de 2018, houve um faturamento de R$ 230 milhões através das startups do Cubo. No ano anterior foram 110 milhões que foram obtidos.

Além do progresso financeiro, a quantidade de contratos também cresceu. Os contratos firmados entre as empresas externas e residentes foi de 370 no ano de 2017, para 720 no ano de 2018 somente entre janeiro e julho de 2018. Os resultados do segundo semestre de 2018 são divulgados somente neste ano.

E os objetivos de expansão do Itaú não param nesses números. Em 2019, o objetivo é conseguir ocupar todo o prédio que poderá comportar até 200 empresas que estão iniciando no ramo tecnológico. Atualmente são 92 empresas presentes no espaço. O crescimento das empresas que já estão lá também são notícias esperadas com maiores expectativas.

Guilherme Paulus permanece destaque na hotelaria, com novo empreendimento em SP

Em cada segmento mercadológico, sempre há aqueles nomes mais célebres, costumeiramente em destaque nas manchetes de jornal, por seus respectivos méritos, é claro, como o de ter-se, no histórico profissional de cada um, uma sucessão de empreendimentos bem sucedidos. Portanto, não é exagero que coloquemos o empresário Guilherme Paulus nesse hall, quando se trata, especificamente, do segmento de hotelaria, visto que ele influencia o rumo de dois gigantes neste setor: a CVC Corp e a GJP Hotels e Resorts, nas quais ocupa os cargos de, respectivamente, membro do Conselho e de presidente.

E, mais ainda, com as últimas notícias que tivemos, é que essa celebrização não mais enfraquecerá, ao menos durante os próximos anos, posto que já está certa construção de um novo empreendimento, por parte do Grupo GJP, este comandado pelo próprio Guilherme Paulus, como pontuamos antes. Será, como muitos já esperavam, um hotel de luxo, porém, o que nem todos sabem ainda é a sua localização específica. Portanto, como o empresário adquiriu o espaço há algum tempo, podemos anunciá-la, ainda que as obras não tenham começado para valer: esse novo hotel ficará num icônico edifício, em São Paulo capital, onde funcionava, tempos antes, a DPZ, uma conhecida agência de publicidade. De tal modo, com um hotel desses, construído bem na avenida Cidade Jardim, Guilherme Paulus passou a anunciar, desde a decisão tomada, os detalhes que ressaltam aos olhos e que prometem agradar aos mais exigentes clientes. Todavia, antes de irmos a estes referidos detalhes, temos de advertir aos mesmos clientes desde já interessados, que a entrega desse hotel não está muito próxima, pois, ao que tudo indica, só ocorrerá entre os anos de 2020 e 2021, e assim sugerimos, como possibilidade, enquanto este não fica pronto, que aproveitem os demais hotéis do grupo.

Assim que esse hotel estiver pronto, no entanto, tamanha espera terá valido a pena, contemplado o resultado desse tempo de obras primorosas e de muito bom gosto: terá o hóspede que escolhê-lo, à sua inteira disposição, um total de 65 apartamentos luxuosos, além de rooftop e também de um espaço para eventos. Previsivelmente, como não poderia deixar de ser, haverá ainda um restaurante nesse mesmo empreendimento, seguindo a mesma linha de excelência e requinte.

Não obstante, com todos esses detalhes já esmiuçados, faz-se importante que destaquemos, a partir de agora, o “mistério” que perpassa a construção deste hotel de luxo, no sentido de que ainda não há uma definição precisa sobre essa questão: Qual será a sua bandeira? O empresário Guilherme Paulus não divulgou um nome em definitivo, é fato, mas, mesmo assim, foi anunciada uma possibilidade ainda mais interessante, pois, em vez de escolherem uma dentre as várias bandeiras pertencentes ao Grupo GJP, ao que parece, preferirão por criar uma nova bandeira. E sendo essa a tendência mais provável a ser seguida por eles, cresce desde então a expectativa para que se igualem à rede de hotéis Emiliano, no que tange à contemplação não apenas de São Paulo, mas pelo menos do Rio de Janeiro também. Sendo assim, essa nova marca, caso realmente saia, poderá significar uma considerável expansão do grupo, sobre o território nacional.

Já transmitidos os detalhes mais importantes sobre o novo empreendimento de Guilherme Paulus, do prazo à sua estrutura, e dada essa certa demora para que fique pronto, faz-se oportuno que citemos outras possibilidades de hospedagem que são ofertadas pelo mesmo grupo. Assim, podemos destacar que ficam ambos na Serra Gaúcha, os dois mais “badalados” hotéis dessa rede, o Saint Andrews Gramado e o Wish Serrano Resort, coincidindo ainda na cidade, posto que eles, igualmente, localizam-se em Gramado, cidade do interior do Rio Grande do Sul. Fora esses, também poderá valer a pena a hospedagem em empreendimentos das outras duas bandeiras do grupo: Prodigy e Linx.

Famoso quadro de Renoir é roubado na cidade de Viena

Recentemente, uma obra do famoso pintor impressionista Pierre-Auguste Renoir foi furtada por suspeitos ainda não identificados, segundo a polícia de Viena. O quadro seria leiloado dias depois na prestigiada casa de leilões Dorotheum.

De acordo com notícias da imprensa local, a polícia divulgou um comunicado informando que três suspeitos, que pareciam do sexo masculino e com experiência no manuseamento de obras de arte, adentraram no Dorotheum e roubaram a obra de Renoir, a qual estava exposta no segundo andar do local. Junto com o comunicado, foram liberadas imagens do crime, gravadas na entrada do edifício do Dorotheum, situado no centro de Viena.

O porta-voz da casa de leilões, Doris Krumpl, relatou que o quadro alvo do furto foi o “Golfe, Mer, Falaises Vertes”, tela a óleo pintada por Pierre-Auguste Renoir no final do século XIX. A peça possui dimensões de 27 × 40 centímetros e está avaliada em cerca de 150 mil euros, algo em torno de 700 mil reais, de acordo com a cotação atual.

Segundo Krumpl, um roubo como esse é algo raríssimo, tendo em vista que o Dorotheum possui medidas de segurança modernas e amplas. Ele reiterou que os quadros aguardando por leilões dentro do local estão bastante seguros e que não existe nenhum outro registro de roubo nas últimas décadas.

A obra de Renoir era uma das peças que seriam leiloadas no evento “Clássicos do Modernismo”, o qual não deixou de ser realizado apesar do imprevisto. Também fizeram parte desse leilão um outro quadro Renoir e obras de artistas como Fernando Botero, Pablo Picasso e Henri Rousseau.

A emissora de televisão da Áustria, “ORF” chegou a noticiar o crime um dia antes do mesmo ser confirmado pela polícia ou pela administração do Dorotheum. De acordo com a rede de TV, é possível observar em uma das imagens do crime, um homem retirando o quadro da parede em questão de segundos e saindo do local sem pressa, logo em seguida.

O francês Pierre-Auguste Renoir é o precursor do movimento impressionista, reconhecido por desenvolver obras que destacam a beleza e a sensualidade feminina. Com dezenas de quadros pintados, as obras do artista são avaliadas atualmente em centenas de milhares de euros.

Você sabe o que é o empreendedorismo?

Empreendedorismo é a arte de começar um negócio, basicamente uma empresa iniciante que oferece produtos, processos ou serviços criativos. Podemos dizer que é uma atividade cheia de criatividade. Um empreendedor percebe tudo como uma chance e exibe um viés ao tomar a decisão de explorar a oportunidade.

Um empreendedor é um criador ou designer que projeta novas ideias e processos de negócios de acordo com as exigências do mercado e sua própria paixão. Para ser um empreendedor de sucesso, é muito importante ter habilidades gerenciais e fortes habilidades de formação de equipes. Atributos de liderança são um sinal de empreendedores de sucesso. Alguns economistas políticos consideram a liderança, a capacidade de gerenciamento e as habilidades de formação de equipes como as qualidades essenciais de um empreendedor.

Um empreendedor é um inovador ou criador que introduz algo novo na empresa ou na economia. Pode ser um novo método de produção, um novo produto, uma nova fonte de material, um novo mercado ou qualquer outra inovação similar. Assim, um empreendedor é um inovador, criador, mutuário, comprador, etc. Alguns empreendedores famosos são Azim Premji, Lakshmi Mittal e Ekta Kapoor.

Motivação – um fator importante. O desempenho de um empreendedor depende da sua capacidade e vontade de executar. Aqui, por habilidade, entendemos uma função de educação, experiência e habilidade e por disposição que pretendemos desempenhar dependendo do nível de motivação. A motivação é um dos fatores fundamentais necessários para um empreendedor promover suas ideias.

Por que a motivação é necessária? O termo motivação foi derivado da palavra “motivo”, que nada mais é do que o que induz qualquer pessoa a agir de uma maneira particular. Motivos são a definição dos objetivos, sonhos e necessidades de uma pessoa. Eles direcionam o comportamento humano para alcançar seu objetivo.

Quando tudo está devidamente organizado, então qual é a necessidade de motivação?

Os pontos a seguir respondem a essa pergunta e dão uma ideia de por que a motivação é um fator importante para um empreendedor – Concorrência difícil – Um empreendedor precisa enfrentar uma dura concorrência, a fim de sustentar e fazer uma marca neste mercado global. Para lidar com essa competição, é necessária motivação em cada estágio da empresa.

Ambiente desfavorável – Ninguém sabe o que o futuro reserva. É preciso cuidar da economia atual e estar preparado para as piores situações de deterioração das condições econômicas. Para isso, motivação e otimismo são essenciais.

“Bohemian Rhapsody” é a canção do século XX mais ouvida no mundo

De acordo com notícias divulgadas recentemente pelo Universal Music Group, a música “Bohemian Rhapsody”, da banca britânica Queen, e que foi lançada no ano de 1975, foi a canção do século XX mais escutada no mundo inteiro.

Mesmo depois de 40 anos do seu lançamento, a música continua em alta e teve há pouco tempo um novo pico de popularidade, em razão da chegada aos cinemas do filme “Bohemian Rhapsody”, o qual conta em detalhes toda a trajetória da banda e do seu famoso vocalista, Freddie Mercury.

Segundo o Universal Music Group, a canção foi reproduzida mais de 1,6 bilhão de vezes através dos principais serviços de streaming. Além disso, ao ser lançada em 31 de outubro de 1975, a música permaneceu por nove semanas em sequência na primeira posição entre as mais ouvidas do Reino Unido, o que quebrou recordes. Para completar, “Bohemian Rhapsody” é a única canção que já esteve duas vezes no topo das paradas inglesas durante o Natal.

Ao longo dos anos, a música já foi citada diversas vezes como uma das melhores já criadas, como em 2004, quando “Bohemian Rhapsody” ganhou um espaço no Hall da Fama do Grammy. Um dos fatores que tornam a canção tão especial é a performance de Freddie Mercury, a qual foi escolhida pelos leitores da “Rolling Stone” como a mais ilustre do rock.

Nesses mais de 40 anos, vários artistas de diferentes estilos também já regravaram o sucesso “Bohemian Rhapsody”, sendo possível citar Elton John, Robbie Williams, Kanye West, Pink e até mesmo a Orquestra Filarmônica Real

Em relação ao filme de mesmo nome, lançado em 2018, o mesmo alcançou o topo das bilheterias nos Estados Unidos, arrecadando cerca de 50 milhões de dólares somente no seu final de semana de estreia. No restante do mundo, a bilheteria também ficou acima do esperado.

O longa, que se tornou a segunda maior estreia na categoria biografia musical em bilheteria, narra momentos pouco conhecidos que levaram a criação Queen, no ano de 1970, com destaque para a imensa transformação na vida de Farrokh Bulsara até que ele se tornasse o ícone Freddie Mercury, um dos maiores vocalistas de todos os tempos.

O que é o Empreendedor?

Um empreendedor é um indivíduo que identifica uma necessidade no mercado e trabalha para cumpri-la. O termo, historicamente, tem sido aplicado a um indivíduo que inicia um negócio, vendo a capacidade de satisfazer essa necessidade identificada como uma oportunidade econômica.

A definição de empreendedor de livros didáticos fala dessa percepção clássica. Considere, por exemplo, a definição de Merriam-Webster que explica empreendedor como “alguém que organiza, gerencia e assume os riscos de um negócio ou empresa”.

Howard Stevenson, professor da Harvard Business School, cuja pesquisa e ensino se concentrou no campo do empreendedorismo, disse: “Empreendedorismo é a busca de oportunidades além dos recursos controlados”.

Tipos de empreendedorismo. No entanto, empreendedor , empreendedorismo e empreendedorismo expandiram significados hoje. Por vezes, são utilizados para descrever indivíduos capazes de identificar necessidades não satisfeitas numa variedade de contextos, incluindo empresas existentes, e procurar formas de satisfazer essas necessidades.

Como tal, esses termos também são aplicados a um modo de pensar e a uma maneira de organizar ou gerenciar, ao invés de simplesmente uma maneira de desenvolver um novo negócio. Por exemplo, as pessoas descrevem indivíduos inovadores em ambientes não comerciais, como organizações sem fins lucrativos e movimentos sociais, como empreendedores sociais.

Indivíduos inovadores que trabalham em empresas existentes são às vezes chamados de intraempreendedores . Outros termos utilizados no ambiente corporativo são empreendedorismo corporativo e intra – empreendedorismo.

Além disso, os termos empreendedor , empreendedor e empreendedorismo são às vezes aplicados a indivíduos que identificam e buscam novas formas de trabalhar ou novos processos e procedimentos, independentemente de suas posições ou configurações. É ocasionalmente usada como sinônimo de um cavador , que também poderia ser descrito como tendo um espírito empreendedor.

O que um empreendedor faz. No sentido clássico do termo, um empreendedor inicia um novo empreendimento, construindo a organização cumprindo o que vê como uma necessidade de mercado não atendida.

Nesse sentido, um empreendedor também atende à definição de um fundador de negócios e de um pequeno empresário. No entanto, nem todo fundador de negócios ou pequeno empresário é um empreendedor. As empresas que começaram a fornecer produtos ou serviços existentes de maneira semelhante a outras que já estão no mercado não são consideradas empreendedoras, mesmo que forneçam produtos ou serviços superiores.

Pesquisa aponta que 60% dos moradores da cidade de São Paulo estão com sobrepeso

Moradores da cidade de São Paulo estão com sobrepeso e problemas de pressão, pelo menos uma boa parte desses habitantes. A conclusão foi de um serviço médico particular que atende pacientes de classe média em toda a cidade. Uma das causas deste transtorno é a ansiedade, o estresse e a falta de atividades físicas desses habitantes.

A cada 5 brasileiros 1 está brigando com a balança com o peso acima do ideal. Na maior cidade do Brasil já são 60% dos moradores acima do peso ideal, de acordo com um levantamento feito com os pacientes que procuraram ajuda médica através da rede particular Dr. Consulta. Em São Paulo a obesidade anda de mãos dadas com a ansiedade, com o estresse e com a vida sedentária de muitos moradores.

“Essa associação de obesidade com ansiedade está muito relacionada ao sedentarismo, à alimentação inadequada, ao ritmo de vida estressante do dia a dia de muitas pessoas, além de outros fatores sociais, como o desemprego, política e economia”, diz Bruno Reis, chefe médico da clínica dr.consulta.

A pressão também está ligada com a ansiedade, mas não a pressão das cobranças, a pressão arterial. Segundo notícias recentes divulgadas pela pesquisa, 6 em cada 10 paulistanos vivem com a pressão arterial acima do que é considerado normal e saudável. Poucas pessoas sabem que a ansiedade em si já é uma doença e que precisa ser diagnosticada e tratada.

“A gente vê todo o envolvimento, o porquê, quais as causas, e sempre com um corpo clínico multidisciplinar, com psiquiatra, psicólogo, nutricionista, endócrino, clínico, cardio, avaliamos o problema como um todo. A ansiedade é uma das principais causas observadas, o princípio de desencadeamento de outros problemas em cascata”, diz Bruno. Mas, e como alcançar essa tão falada qualidade de vida?

“Alimentação adequada, fazer exercícios, cuidar um pouquinho da relação socioafetiva, buscar algumas horas semanais para fazer aquilo que gosta, ter um ambiente de qualidade no trabalho com bastante harmonia todos os dias, são os fatores que irão contribuir para uma vida mais saudável”, explica Bruno.

Empreendedor vs. autônomo: Nem toda pessoa que trabalha para si mesmo é um empreendedor

O conceito atual de empreendedor não é apenas seu próprio patrão. Ele é alguém que procura soluções lucrativas para os problemas e constrói um negócio sobre ele. Ele é alguém que está pronto para assumir riscos maiores do que o normal (financeiro e não financeiro) e que está confortável com a incerteza e longas horas de trabalho. Um verdadeiro e complero empreendedor não apenas fala sobre suas idéias, mas as executa de maneira estelar também. Ele é o disruptor e imparável. Ele é um traficante no sentido mais verdadeiro.

No entanto, um trabalhador independente pode ser um freelancer ou um operador de negócios franquia. Ele toma os caminhos esculpidos por empreendedores e executa tarefas que são menos arriscadas e cujos resultados são óbvios.

Empreendedor vs. Infopreneur vs. Intrapreneur: Os empresários vêm em muitas formas. Se você leu nosso post sobre os tipos de empreendedores, você sabe que existem pelo menos 10 tipos de empreendedores. No entanto, o empreendedorismo também vem em diferentes formas. Você pode ser um empreendedor e construir sua própria startup. Ou você pode ganhar dinheiro coletando, organizando e vendendo informações principalmente em um nicho de mercado (Infopreneur). Você pode até ser um intraempreendedor em sua própria organização sem assumir a maioria dos riscos empresariais.

Selecionar se você quer ser um empreendedor, um infopreneur ou um intraempreendedor é realmente importante antes de passar a ler os próximos passos de como se tornar um empreendedor.

Identifique o negócio certo para você: Todo mundo tem seus pontos fortes e todos têm seus bloqueios de estrada. Não é fácil criar uma startup. Não é nem mesmo fácil iniciar o processo de ideação .

A maioria das pessoas pensa que cada startup é construída sobre uma ideia não convencional e que elas devem começar do nada e criar algo que ninguém tenha feito antes. Esta hipótese não é verdadeira na maioria das vezes. Além disso, se você não é abençoado com os cérebros como os de Bill Gates ou Steve Jobs, isso pode desperdiçar muito do seu tempo também.